E depois do Covid-19...

Acabei de ler um artigo muito interessante sobre as sequelas deixadas pelo vírus covid-19 no organismo daqueles que tiveram a infelicidade de ser infetados por ele.

É verdade que ainda estamos nas primeiras etapas de estudo deste vírus. Porém, já é possível saber, a partir dos estudos feitos até agora, que a lista de problemas com que ele nos presenteia é extensa e pouco agradável. Ela estende-se desde o cansaço crónico,das dificuldades respiratórias, até problemas neurológicos. E isto é o que já se sabe. Suspeita-se que haverá muito por saber e que muitos dos problemas poderão aparecer tão tarde que quase não nos lembraremos de os associar ao covid-19!

Sim, a lista é longa e não é nada agradável!

Isto faz-me pensar no que se está a passar em alguns locais deste nosso país e, também, por esse mundo fora...

Um destes dias ouvi falar de umas festas covid... Pensei, na minha ingenuidade, que se tratava de festas para celebrar a recuperação daqueles que tinham passado por esta tormenta. Enganei-me! Ignorante! Afinal eram (será que ainda são?) festas organizadas por jovens super inteligentes, com o objetivo de se infetarem uns aos outros! What?! Pois é, o que eu tenho andado a perder!

“Eles dizem que afeta os rins, o fígado, o coração, o cérebro”

A citação anterior, retirada do jornal Expresso, dá uma pequena ideia daquilo de que estou a falar.

“O que estamos agora a perceber é que as sequelas não são só físicas mas também neurológicas e psiquiátricas. Dentro das lesões que os doentes mantêm há as perturbações cognitivas, comportamentais, alterações no sono, défice de memória e défice de concentração”

Nesta outra citação podemos ver mais algumas pérolas que o vírus nos deixa, de acordo com Filipe Froes, pneumologista no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, ao mesmo jornal.

Perante tudo isto, podemos concluir que os nossos jovens estão muito bem informados e estão a tomar as decisões mais sensatas em relação à sua abordagem a este assunto.

Já agora, também é interessante ver alguns jornalistas preocupados com as saídas dos mais velhos de casa, que aumentaram nos últimos tempos. Coitados dos nossos mais velhos! As festas em que participam os casais octogenários nas esplanadas dos nossos cafés para tomarem um café, apanhar um pouco de ar e sol e trocar duas palavrinhas com os compadres devem estar a comprometer a recuperação da situação no nosso país! É isso o que se vê nas estatísticas, não é?! Desculpem, devo ter-me enganado...

Talvez fosse bem que os nossos cidadãos mais jovens, os jovens adultos e alguns jornalistas portugueses se concentrassem mais em usar as suas faculdades mentais para pensarem melhor sobre o assunto e tomarem atitudes individuais mais responsáveis, de modo a não comprometerem ainda mais a situação difícil em que estamos. Caso contrário, sugiro umas injeções de lixívia. Se as festas covid são a solução para alguns, penso que os mesmos não terão qualquer problema em aceitar a sugestão do doutíssimo Trump!

E, permito-me, alargo a sugestão a alguns políticos estrangeiros que, pela sua ignorância, acrescentam mais dor ao já enorme sofrimento dos seus povos.

Haja paciência!